Eu não sou eu

#umpoetaumpoemapordia #77 (15/1)

POEMA – GRONMAMA
Mi a no mi solanga mi brudu / fu yu a n’e trubu / na ini den dusun titei fu mi // Mi a no mi solang mi lutu / n’e saka, n’e sutu /mi gronmama, // Mi a no mi solang m’no krari / fu kibri, fu tyari / yu gersi na ini mi dyodyo. // Mi a no mi solanga y’ n’e bari / f’ prisir’ ofu pen / na ini mi sten.

(Tradução de Ronaldo Sérgio) Mãe Terra
Eu não sou eu / enquanto meu sangue / não se misturar por ti / nas milhares de veias de meu corpo. // Eu não sou eu, / enquanto minhas raízes / não se fincarem, não se atirarem / ao seu coração, minha mãe terra. // Eu não sou eu, / enquanto eu não estiver pronto, / para esconder e para carregar, / sua efígie em minha alma. // Eu não sou eu, / enquanto você não gritar, / de prazer e dor / em minha voz.

POETA
Henri Frans de Ziel, conhecido como Trefossa, (Paramaribo, 15 de janeiro de 1916 — Haarlem, 3 de fevereiro de 1975) foi um escritor surinamês, que escrevia em neerlandês e surinamês.

MAIS SOBRE
https://muse.jhu.edu/article/5885
https://portugeesnu.wordpress.com/2015/07/05/trefossa-um-grande-poeta/
http://werkgroepcaraibischeletteren.nl/tag/trefossa/page/5/

200px-trefossa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s