Gaita

#umpoetaumpoemapordia #86 (24/1)
 
POEMA: GAITA
Eu não tinha mais palavras, / vida minha, / palavras de bem-querer; / eu tinha um campo de mágoas, / vida minha, / para colher. // Eu era uma sombra longa, / vida minha, / sem cantigas de embalar; / tu passavas, tu sorrias, / vida minha, / sem me olhar. // Vida minha, tem pena, / tem pena da minha vida! / Eu bem sei que vou passando / como a tua sombra longa; / eu bem sei que vou sonhar / sem colher a tua vida, / vida minha, / sem ter mãos para acenar, / eu bem sei que vais levando / toda, toda a minha vida, / vida minha, e o meu orgulho / não tem voz para chamar.
(Coração verde, 1926)
 
POETA
Augusto Meyer, poeta e ensaísta, nasceu em Porto Alegre, RS, em 24 de janeiro de 1902 e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 10 de julho de 1970.
 
MAIS SOBRE
meyer1b
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s