Le Metéore

#umpoetaumpoemapordia #97 (04/2)

POEMA – Le Metéore
Entre les barreaux des locaux disciplinaires
une orange
passe comme un éclair
et tombe dans la tinette
comme une pierre
Et le prisonnier
tout éclaboussé de merde
resplendit
tout illuminé de joie
Elle ne m’a pas oublié
Elle pense toujours à moi.
(in Histoires, 1946)

(Tradução de Adriano Scandolara) – O Meteoro

Pelas grades do bloco penitenciário
uma laranja
passa como um raio
e cai como uma pedra
dentro do sanitário
E o prisioneiro
todo lambuzado de merda
resplandece
todo iluminado de alegria
Ela não me esqueceu
Ela pensa sempre em mim ainda.

POETA – Jacques Prévert (Neuilly-sur-Seine, 4 de fevereiro de 1900 — Omonville-la-Petite, 11 de abril de 1977) foi um poeta e roteirista francês.

MAIS SOBRE
https://escamandro.wordpress.com/2012/05/15/6-poemas-de-jacques-prevert/
http://poesiailimitada.blogspot.com.br/2007/09/jacques-prvert.html
http://www.algumapoesia.com.br/poesia/poesianet028.htm
http://www.poesiaspoemaseversos.com.br/jacques-prevert/
http://deliriodevinhoepoesia.blogspot.com.br/2015/05/traducao-tres-poemas-de-jacques-prevert.html
http://poeticia.blogspot.com.br/2010/04/poetas-do-mundo-jacques-prevert.html
http://sinestesiacult.blogspot.com.br/2012/01/jacques-prevert-poesia-libertaria.html
http://amediavoz.com/prevert.htm
http://www.otago.ac.nz/deepsouth/vol3no1/campbell.html

http://leiaumpoemapordia.blogspot.com.br/2012/02/jacques-prevert.html

c1fguwoweaaslyf

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s