exercício sobre o desaguar

escrever por vezes
parece ridículo.
um despropósito.
um descabimento…
não há reclame,
que de conta
do que teus olhos te deixam ver
de tua imagem interna
disto que vai por dentro da carne.

mas falar, tête-à-tête,
sobre a dor de dentro…

eu não sustento
os olhos nos olhos.
não seguro o embargo
e a lágrima.

há muita água represada…
é preciso desaguar
todo sal
e todo sangue.

[sex] 15 de junho de 2018

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.