Archive for the 'Augusto de Campos' Category

poesia russa moderna

16/03/2019

8º Dia

A convite de Pati , durante 10 dias vou publicar 10 livros que marcaram minha trajetória como leitor. Sem comentários e explicações, apenas a capa. E, cada dia, desafiarei uma pessoa a continuar a roda.

Aceita, Agustina?

8 Agustina

«THE OWL AND THE PUSSY-CAT» por Edward Lear

12/05/2018
#umpoetaumpoemapordia #194 (12/5)

POETA: EDWARD LEAR

Edward Lear (Highgate, Londres, 12 de Maio de 1812 — San Remo, 29 de Janeiro de 1888) foi um pintor e escritor inglês. Em 1846 deu lições de desenho à Rainha Vitória e escreveu seu primeiro Book of Nonsense, iniciando sua carreira literária na qual viria a se distinguir por desenvolver uma forma original de poemas de humor e absurdo e também por divulgar o limerick (poema de cinco versos com uma rima no primeiro, segundo e quinto e outra no terceiro e no quarto).

POEMA – THE OWL AND THE PUSSY-CAT

(I)
The Owl and the Pussy-cat went to sea
In a beautiful pea green boat,
They took some honey, and plenty of money,
Wrapped up in a five pound note.
The Owl looked up to the stars above,
And sang to a small guitar,
“O lovely Pussy! O Pussy my love,
What a beautiful Pussy you are,
You are,
You are!
What a beautiful Pussy you are!”
(II)
Pussy said to the Owl, “You elegant fowl!
How charmingly sweet you sing!
O let us be married! too long we have tarried:
But what shall we do for a ring?”
They sailed away, for a year and a day,
To the land where the Bong-tree grows
And there in a wood a Piggy-wig stood
With a ring at the end of his nose,
His nose,
His nose,
With a ring at the end of his nose.
(III)
“Dear pig, are you willing to sell for one shilling
Your ring?” Said the Piggy, “I will”.
So they took it away, and were married next day
By the Turkey who lives on the hill.
They dined on mince, and slices of quince,
Which they ate with a runcible spoon;
And hand in hand, on the edge of the sand,
They danced by the light of the moon,
The moon,
The moon,
They danced by the light of the moon.
TRADUÇÃO DE Augusto de Campos
O Mocho e a Gatinha foram pro mar
Num lindo bote verde-ervilha,
Eles tinham mel e grana a granel
E uma nota de um milha.
O Mocho olhou para o céu
E cantou na viola de lata
“Que linda gata! Que linda gata,
Que linda gata Deus me deu,
Me deu,
Me deu,
Que linda gata Deus me deu!”
E de braço dado, na praia do lado,
Saíram a dançar sob a luz do luar,
Luar,
Luar,
Saíram a dançar sob a luz do luar.
Adriana Calcanhotto
https://www.youtube.com/watch?time_continue=260&v=Y5Qf4KWAJ2Y
(O Mocho e a Gatinha)
O mocho e a gatinha
Música: Cid Campos | Tradução: Augusto de Campos

MAIS SOBRE:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Edward_Lear
http://traduzirliteratura.blogspot.com.br/2009/11/traducao-de-limericks-de-edward-lear.html
https://blogdocastorp.blogspot.com.br/2015/01/edward-lear-o-mocho-e-gatinha.html

02 Caderno de Lit. 06.pmd – Portal de Revistas da USP

https://formadevida.org/cpereirafdv12/https://www.jornalopcao.com.br/opcao-cultural/influencia-do-nonsense-de-edward-lear-em-vinicius-de-moraes-117342/https://dialogosassessoria.wordpress.com/2015/01/16/edward-lear-e-seus-limeriques/https://www.escritas.org/en/estante/edward-learhttp://armadillosvoladores.blogspot.com.br/2012/06/el-buho-y-la-gatita-de-edward-lear.htmlhttp://www.blocosonline.com.br/versaoanterior2/sitespes/lm/anioutros/anipoe034.htm

 

«CÓDIGO» por Augusto de Campos

14/02/2017

#umpoetaumpoemapordia #107 (14/2)

POETA – Augusto de Campos

Augusto Luís Browne de Campos (São Paulo, 14 de Fevereiro de 1931) é tradutor, ensaísta, crítico de literatura e música e poeta brasileiro.

POEMA – CÓDIGO

augusto_de_campos202

MAIS SOBRE
http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_visual/augusto_de_campos2.html
http://www.revistas.usp.br/magma/article/view/80724/84379
https://www.ebiografia.com/augusto_de_campos/
http://www.releituras.com/adecampos_menu.asp
http://www.jornaldepoesia.jor.br/ac.html

3afe1848090b5c2acb155be18a85520a

«5 (SUCCESS IS COUNTED SWEETEST)» por Emilly Dickinson

10/12/2016

#umpoetaumpoemapordia #041 (10/12)

POETISA: EMILY DICKINSON

Emilly Elizabeth Dickinson (Amherst, 10 de dezembro de 1830 – 15 de maio de 1886) foi uma poetisa americana, considerada moderna em vários aspectos da sua obra. WIKIPEDIA

POEMA: 5 (SUCCESS IS COUNTED SWEETEST)

Success is counted sweetest
By those who ne’er succeed.
To comprehend a nectar
Requires sorest need.

Not one of all the purple Host
Who took the Flag today
Can tell the definition,
So clear, of Victory!

As he, defeated — dying —
On whose forbidden ear
The distant strains of triumph
Burst agonized and clear!

(c. 1859)
– Emily Dickinson – ‘Não sou ninguém’. Poemas. [traduções Augusto de Campos]. Campinas: Unicamp, 2009.

TRADUÇÃO DE: AUGUSTO DE CAMPOS

O Sucesso é mais doce
A quem nunca sucede.
A compreensão do néctar
Requer severa sede.

Ninguém da Hoste ignara
Que hoje desfila em Glória
Pode entender a clara
Derrota da Vitória

Como esse — moribundo —
Em cujo ouvido o escasso
Eco oco do triunfo
Passa como um fracasso!

+ SOBRE

https://www.revistaprosaversoearte.com/emily-dickinson-poemas/
http://www.algumapoesia.com.br/poesia3/poesianet306.htm
https://escamandro.wordpress.com/tag/emily-dickinson/
https://www.portaldaliteratura.com/poemas.php?poeta=1596
https://www.revistaprosaversoearte.com/emily-dickinson-poemas/

14 poemas de Emily dickinson -tradução – SEER-UFMG

OUTROS

Olavo Bilac, poeta parnasianista brasileiro

1971 : O poeta chileno Pablo Neruda recebe o Prêmio Nobel de Literatura .

Giovanni Battista Guarini , poeta italiano

María Bibiana Benítez , poeta porto-riquenha

Nikolái Nekrásov , poeta russo

Emily Dickinson , poeta americano

Nelly Sachs , poeta e dramaturgo alemão-sueco

Dulce María Loynaz , poeta cubana

George MacDonald , ministro escocês, autor e poeta

Pierre Louÿs , autor e poeta belga-francês

Rumer Godden , escritor e poeta inglês

Carolyn Kizer , poeta americana e acadêmica

William Plomer , poeta, romancista, libretista e editor sul-africano

Shizuo Itō (伊藤 静 雄), poeta japonês

Na Hye-sok (나혜석), escritor, poeta, filósofo e pintor coreano

«DER EINSAME (O Solitário)» por Rainer Maria Rilke

04/12/2016

#umpoetaumpoemapordia #035 (4/12)

POETA: RAINER MARIA RILKE

Rainer Maria Rilke, por vezes também Rainer Maria von Rilke (Praga, Império Austro-Húngaro, atual República Tcheca, 4 de dezembro de 1875 — Valmont, Suíça, 29 de dezembro de 1926) foi um poeta de língua alemã do século XX. Escreveu também poemas em francês. WIKIPEDIA

POEMA: DER EINSAME

Wie einer, der auf fremden Meeren fuhr,
so bin ich bei den ewig Einheimischen;
die vollen Tage stehn auf ihren Tischen,
mir aber ist die Ferne voll Figur.

In mein Gesicht reicht eine Welt herein,
die vielleicht unbewohnt ist wie ein Mond,
sie aber lassen kein Gefühl allein,
und alle ihre Worte sind bewohnt.

Die Dinge, die ich weither mit mir nahm,
sehn selten aus, gehalten an das Ihre -:
in ihrer großen Heimat sind sie Tiere,
hier halten sie den Atem an vor Scham.

– Rainer Maria Rilke (Paris, Mitte August 1907).

TRADUÇÃO DE: AUGUSTO DE CAMPOS

O solitário

Não: uma torre se erguerá do fundo
do coração e eu estarei à borda:
onde não há mais nada, ainda acorda
o indizível, a dor, de novo o mundo.

Ainda uma coisa, só, no imenso mar
das coisas, e uma luz depois do escuro,
um rosto extremo do desejo obscuro
exilado em um nunca-apaziguar,

ainda um rosto de pedra, que só sente
a gravidade interna, de tão denso:
as distâncias que o extinguem lentamente
tornam seu júbilo ainda mais intenso

Rainer Maria Rilke, em “Novos poemas II” (1907). In: CAMPOS, Augusto de (organização e tradução). Coisas e anjos de Rilke. São Paulo: Perspectiva, 2013, p. 292-293.

+ SOBRE

https://pt.wikipedia.org/wiki/Rainer_Maria_Rilke
https://www.revistaprosaversoearte.com/rainer-maria-rilke-poemas/
https://www.poetryfoundation.org/poets/rainer-maria-rilke
http://www.releituras.com/rilke_cartpoeta.asp
http://www.elfikurten.com.br/2014/06/rainer-maria-rilke.html
.

OUTROS

Aulo Pérsio Flaco, poeta romano

Heinrich Meibom , poeta e historiador alemão

Jean Chapelain , poeta e crítico francês

John Giorno , poeta americano.

Hannes Hafstein , poeta e político islandês,

Nikoloz Baratashvili , poeta e autor georgiano

Herbert Read , poeta e crítico inglês

IK Gujral , poeta e político indiano

Luis García Montero , poeta e ensaísta espanhol.

 

Douda Correria

Nascida em 2013, a Douda Correria tem uma linha editorial muito ténue, tão ténue que quase não se vê, uma linha que mais do que se ver pressente-se nos títulos que por paixão vai dando à estampa. No seu labirinto de afectos encontram-se autores de várias línguas, sendo o que de mais belo há neles a capacidade de inventar sua própria linguagem sem menosprezar a dos outros. É possível que nada disto faça sentido, é até desejável que nada disto faça sentido. Um cavalo alucinado também não faz sentido, no entanto galga e prossegue sob a espora. (Contacto: doudacorreria107@gmail.com - Facebook: https://www.facebook.com/doudascorrerias/)

bloco de notas

mais um blogue de vagner boni

Palavras de Cinema

pensamentos e ideias sobre sétima arte, por um amante de longa data

Muito além do céu

Escritos por liberdade.

Quadrinheiros

Quadrinhos - Diversão e rigor | (Ano VI)

Futilidade Telepática

Um espaço de ideias livres

AgendaCulturalRJ

Programação Cultural Gratuita ou a preços populares no Rio de Janeiro

Colunas Tortas

mais que uma opinião

Amontoado de ideias

Leitura e outros bichos...

luaparadois

uma lua e duas mãos

TRANSITIVO

transitivo é uma parceria individual

Conector

Pensando a cultura pop analógica e digital.

shuperlocodesign

Just another WordPress.com weblog

Kerouac Versus

Let it beatnik

ETHEL MUNIZ

Un site utilisant WordPress.com

bendito itamar

meu nome é benedito joão dos santos silva beleléu vulgo nego dito nego dito cascavé

em algum lugar do MUNDO

Ideias e contos de Glauber Serafim